domingo, 27 de março de 2011

Febril

Os lugares antigos senti-os no cheiro da memória.
O passo manso tem o gosto suave que revigora
os atrevimentos dessa minha febre habitual
e o suor frio dos dias banais.

Confundi todas as histórias.
Meus desejos se perderam em confissões
por palavras nunca antes ditas
e as minhas frases feitas perderam o sentido.

Parei de massacrar as cigarras
Meu próprio canto me incomoda e me faz implorar
Não importa se aqui não é Babylon
Minha pele anseia o arrepio de tuas fanfarras.

É que hoje eu queria um abraço
que me pegasse num sopapo
e me sentisse sorrir como quem chora de saudade.

Se voltei foi pra sentir [de novo] o meu porto seguro trepidar
Cansei da sensatez de ser só
Voltei ao meu delírio de poder ser em você mais uma vez.

14 comentários:

Marlla disse...

"É que hoje eu queria um abraço
que me pegasse num sopapo
e me sentisse sorrir como quem chora de saudade." A parte mais linda. E não preciso mais te dizer que você é a melhor parte de todos esses poemas que você faz, né? Te amo! :)

laianne carla disse...

hummmm! aiaiai! rs

Fernanda disse...

"Me fizesse sorrir como quem chora de saudade" Dá um aperto só de ler, imagine de viver!

Lindo poema!

Aninha disse...

Arrasou Rousi! Muito lindo o poema, assim como todos os outros textos.

Que honra ter ao meu lado, quase todos os dias da semana, alguém tão criativa! :D

beijinhos rousimere.

Leonardo Faustino disse...

Eu odeio cair na rotina. Mas tem uma que não consigo fugir: a de dizer que você é genial.

Thaise Carvalho disse...

Lindoooo
Vc escreve muito bem!
Não vou sair mais do seu pé até mostrarmos esse talento para muitas e muitas pessoas! =)
Parabéns!
Grande bjo =**

Manoela disse...

Lindo, Rousi! Adorei ;~~
Beijo! :*

Mayara Silveira disse...

Hoje é a primeira vez que visito teu blog, e me deparo logo de cara com "é que hoje eu queria um abraço que me pegasse num sopapo e me sentisse sorrir como quem chora de saudade", esse trecho apenas reflete a minha vida hoje. Lindo demais o seu trabalho.

Priscilla disse...

Ainda não quer que a gente a chame de POETISA. Ah vá! Então escreva diferente!

Tão lindo quando e como vem de você.
Uma poetisa linda!!

;~~

rebecca disse...

vc tem um dom

Rousi disse...

Own gente obrigada!
Vocês é que são fofos e vêem beleza em tudo :D
O que eu escrevo só ganha sentido quando vocês lêem!

Beijos *-*

O dom Rebequinha? Da CURA? [Eu preciso que seja da cura kkkkkk]

josé Adriano Gonçalves disse...

“ Os lugares antigos sentidos no cheiro da memória”

“ o suor frio dos dias banais”

Como sempre um bom momento de inspiração.

Muito bonito

Humberto de Lima disse...

Olá Rousi!

Que bom saber que você é conterrânea e também escreve!
Parabéns pelo lirismo, com abraço da Paraiba...

Anônimo disse...

Onde você se esconde, diga lá!
Como posso encontrar a janela da tua alma?

 
;