quinta-feira, 6 de novembro de 2008

Devaneios emocionais

Um dos meus ambientes privados prediletos é, definitivamente, o banheiro (para não dizer a privada, que soa tão mal para alguns). Incansáveis horas por necessidade ou por comodidade habitual são sempre produtivas, pois acompanham leituras agradáveis, reflexões importantes, papéis e canetas.

Para não agredir a sensibilidade dos mais recatados, educados e purificados, que fazem caras e bocas cada vez que pronuncio algo que deve ser reprimido, - segundo eles-, tentarei usar termos menos agressivos à boa educação e vou começar trocando merda por fezes (não, fezes também causa estranheza), melhor que seja excretas sólidas.

Mas o que eu queria falar mesmo era sobre devaneios emocionais. E me perdoem os poetas, principalmente os românticos, mas devaneios emocionais provocam, em mim, as mesmas reações que “devaneios intestinais”.

Perco o sono tanto com preocupações como com o mal-estar digestório. Ansiedade e agonias abdominais me fazem suar frio intensamente. Sinto dores recorrentes por causa de movimentações estranhas e de uma angústia melancólica. E sempre que penso estar bem, a tristeza e um dos meus esfíncteres (o inferior) revelam que ainda não devo levantar. Ambos me fazem escrever. É que, os motivos para escrever vêm com as alterações sentimentais e o tempo com as intestinais.

A essas alturas, deve haver alguém, com a maior cara de nojo, se perguntando como é que eu perco tempo escrevendo sobre minhas merdas, - desculpem-me a expressão, acho que havia prometido usar excretas sólidas-, mas a questão não é de perda de tempo, é justamente o contrário. A madrugada já se faz alta e aqui estou aproveitando o pouco de tempo que me sobra (que não é bem uma sobra, mas serve) para fazer o que mais gosto em um ambiente reflexivo, tranqüilo e agradável. Exceto quando alguém bate na porta e pede para (des)ocupar.

Aliás, o ambiente é o único tranqüilo por aqui porque a disputa interna, em mim, é deveras acirrada. Enquanto os movimentos peristálticos provocam horrores da cintura para baixo, os pensamentos dão duplo mortais carpados em outras partes. Ambos misturam-se, por fim, pela caneta que adoraria escrever que os eletrolíticos prevalecem, mas sabe que eles são superados com um copo com água que contenha duas medidas de açúcar e uma de sal, já os emocionais vão precisar bem mais do que isso para serem superados.

Rousi, perturbando a madrugada.

17 comentários:

Sidney Andrade disse...

hey, q cagada foi essa?
só espero que tu tenha dado a descarga, o que daria o bom proximo texto, hehehe....
Rousi, Rousi, tu eh a primeira coremense q eu acho legal... =X
bjin...

Magno Markus disse...

''Errar é humano, mas para se fazer uma monstruosa cagada é preciso um computador''

Finalmente um blog!

Beijo, Rousi =)

Amanda disse...

esse blog tinha que existir! =D
(e começar com esse texto, por sinal kkkkkkkkkkk)
bjooooo amore! =*

Fernanda disse...

Amigaaa,
esperei tanto por esse blog que nem acredito q ele tá pronto!
Você sabe q eu adoro td o q vc escreve, né?
Textos melancólicos, românticos, estranhos ou engraçados...
adooooro!

E esse das "escretas sólidas" então kkkkkkkkkkkkkkk


Tô morrendo de saudade.

Aralinda disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
marlla mikaelly disse...

kkkkkkkkkkkkkkkk,:D
você me orgulha cada dia mais com seus textos legais *-*

Ana Virgínia disse...

Que merda!

fernanda disse...

Literalmente tu não existe Rousi, mas cada um com suas loucuras e suas cagadas! kkkkkkkkkkkkkk

Adoroo suas produções textuais.

BeeijO :)

LEONARDO FAUSTINO; disse...

Muito bom mesmo! :)

camila disse...

você me orgulha cada dia mais com seus textos legais *-* [2]

que lindo tudo isso =x
saaudades, te amo :*

Juliana disse...

pronto, era só o que tava faltando!
um lugar pra tu guardar seus texto poeteiros!
HAHAHA

Raíssa disse...

"Rousi diz:
sei que nao há muito o que falar já que o texto fala de merda,
mas o que eu mais adoro sao os comentários"

Eu sei amiga.. então, aqui estou!
suhuahuhsuahsuahsuahsuahushaushuas

É nunca pensei que 'eXcretas sólidos' pudessem ser tão poéticos!
O jeito de pensar a merda faz toda diferença...

E.. como alguém disse uma vez:
"Te amo até cagando"

IRMÃ!

Beijo

aaluah disse...

LACTOPURGA

Fernando A. Vita disse...

Não sou muito de fazer elogios, mas estão muito bons os textos.
Quem dera eu tivesse tanta inspiração no banheiro.

Já adicionei o blog aqui nos meus favoritos.

Bianca disse...

As grandes história de Rousi, hahaha me fazem um bem danado pense.

amei!

Beijo, quando fizer outros textos me avisa ta.

Guida disse...

kkkkkkkkkkkkkkkk,:D
você me orgulha cada dia mais com seus textos legais *-*[2]
saudadeees Rousiii!

Kerle disse...

E haja inspiração no banheiro...rsrsrs

 
;